Buscar
  • historicendurance

6 Motivos para não faltar ao Estoril Classics

O Estoril Classics está à porta e são muitos os motivos para que os verdadeiros adeptos de automobilismo se desloquem ao Autódromo do Estoril. Na sexta edição do evento, apontamos seis motivos que provam que não pode faltar.


Paddock respira história e não só


O paddock do Estoril Classics é onde qualquer verdadeiro adepto de automobilismo tem de estar este fim-de-semana e, neste momento, apesar dos bilhetes de fim-de-semana estarem já esgotados, existem ainda alguns diários.

São inúmeras as máquinas que marcaram o desporto automóvel ao longo de setenta anos que podem ser vistas de perto e quase tocadas. Para além disso, os donos, mecânicos, etc, são afáveis e sempre dispostos a partilhar histórias com os adeptos.

No paddock podem ainda encontrar a ‘Food & Brand Village’ onde podem beber e comer enquanto assistem as inúmeras corridas através de um ecrã gigante, podendo ainda deslocarem-se através do comboio que atravessa toda área e que tem quatro paragens.


James Bond e Cascais


O ACP Clássicos marca mais uma vez presença no Estoril Classics. Com uma exposição dedicada à história da Aston Martin com alguns dos modelos mais emblemáticos em que o DB5 celebrizado nos filmes do James Bond, que passou por Cascais num dos seus filmes, não poderia faltar. Um Darracq de 1901 marca também presença numa evocação que será feita aos 120 anos do Raid Figueira da Foz – Lisboa que se realizou a 27 de Outubro de 1902 e que esteve na génese da fundação do Real Automóvel Club de Portugal em 15 de Abril de 1903.


Mosler: o carro que João Barbosa desenvolveu

A Mosler e João Barbosa são indissociáveis, uma vez que o português foi o piloto que desenvolveu o carro americano - seja na sua versão de estrada, seja na de competição – tendo sido preponderante para a sua comprovada competitividade.

Em 2002 Barbosa participou na competição Grand-Am Rolex Sports Car Series, a precursora da United SportsCar, aos comandos do imponente Mosler MT900 R da Perspective Racing, tendo vencido a classe GT na prova de Homestead.

Durante o Estoril Classics terá a possibilidade de ver evoluir em pista a máquina que o português usou ao longo dessa temporada na categoria Endurance Racing Legends.



Jaguar Type D: O carro mais valioso do paddock

A Jaguar nos anos 1950 era uma marca com uma vida desportiva bastante animada, sendo uma presença constante nas 24 Horas de Le Mans, que na altura talvez fosse a mais importante prova de automobilismo do mundo – a Fórmula 1 estava apenas a dar os seus primeiros passos.

Então, Ferrari, Mercedes e a marca dos ‘Big Cats’ eram as grandes protagonistas e, normalmente, era uma delas a celebrar no domingo à tarde.

Em 1954 a Jaguar estreava o Type D e se nesse ano seria a Ferrari a levar a melhor, nos três anos seguinte a marca de Coventry batia a concorrência.

Um exemplar deste carro histórico, avaliado em mais de vinte milhões de euros, estará presente na edição deste ano do Estoril Classics inscrito na categoria Fifties Legends.



O Porsche que batia pesos-pesados

No final dos anos 60 a Porsche era já uma marca de relevo no mundo das provas de endurance, muito embora a vitória em Le Mans não tinha ainda passado para o currículo da grande marca de Zuffenhausen.

No entanto, um dos seus carros mais icónicos já tinha nascido – o 908, que viria a ter diversas versões.

O 908/03, que pesava apenas 500Kg, estará representado no Estoril Classics através de duas unidades e qualquer uma delas com cores que marcaram as participações da Porsche nas grandes provas mundiais – um vestido de Gulf e outro vestido de Martini.

Na sua primeira temporada a arma de Zuffenhausen venceu os 1000Km de Nurburgring e a Targa Florio, batendo carros bem maiores, o que evidenciou as suas características, que poderão ser vistas ao longo do fim-de-semana durante as corridas do Classic Endurance Racing I.


O F1 que estreou Ayrton Senna

O Classic GP by Portugal Sotheby’s Realty é um sucesso retumbante, tendo cativado o interesse de mais três concorrentes que se juntam à já fantástica lista de inscritos anterior.

Assim, um March 821, um Lotus 87B e um Williams FW08C estarão presentes nas duas grelhas de partida das corridas previstas para o Estoril Classics.

O Williams tem ainda a particularidade de ter sido o modelo em que Ayrton Senna, que conquistou a sua primeira vitória no Autódromo do Estoril, se estreou aos comandos de um Fórmula 1, num teste pela equipa de Frank Williams em Julho de 1983, em Donington.



470 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo